No dia 03 de Abril de 2017, deixamos o conforto da nossa casa e abrigo das nossas famílias para viver o sonho de viajar! Hoje faz 1 mês que abrimos mão de tudo por essa aventura incrível! E o que podemos dizer?

Bom, primeiro que a vida de mochileiros não é feita apenas de fotos bonitas e descanso como muitos tendem a pensar. Mas, sejam os nossos dias bons ou nem tanto, essa experiência tem gerado grande impacto. E por isso hoje, como forma de comemoração do nosso primeiro mês, resolvemos compartilhar alguns dos nossos maiores aprendizados até aqui!

1. Você nunca está preparado o suficiente

Por mais que você se dedique aos preparativos, pense em cada detalhe, leia sobre o assunto e peça a opinião de viajantes experientes, não existe planejamento perfeito.

Tentamos nos antecipar de todas as formas possíveis antes da partida (leia a respeito com mais detalhes na seção Planejamento e Gastos do nosso site), porém, algumas coisas saíram do controle.

O maior exemplo disso foi o nosso carro quebrar e termos que ficar em Puerto Madryn (Argentina) por 9 dias (até agora, pois ainda estamos aqui) e estourarmos o orçamento (e muito!) para arcar com o conserto.

Ainda no Brasil, havíamos investido um bom dinheiro em revisões do Charlie, inclusive fomos a mecânicos especializados e pedimos a opinião de profissionais diferentes. Tudo parecia estar bem, mas não estava. Enfim, você realmente nunca está preparado o suficiente.

 

2. Encontrar pontos de wifi na estrada pode não ser tão difícil quanto parece

No Uruguai e na Argentina encontrar boas conexões de wifi é uma tarefa mais fácil do que pensávamos. Em ambos os casos, nos deparamos com postos de gasolina, cafés e restaurantes com internet disponível gratuitamente e sem qualquer problema.

Na ruta 3 na Argentina, por exemplo, que é permeada por paisagens desérticas, nos sentimos no meio do nada. Entre uma cidade e outra pode haver longas distâncias e poucos pontos de parada para motoristas, por isso ficamos com medo que, em casos de emergência, não pudéssemos contar com conexão. Mas, basta avistar um YPF (rede famosa de postos de gasolina de lá) e pedir a senha do wifi a qualquer atendente e pronto, problema resolvido!

Nossas famílias e redes sociais atualizadas agradecem 🙂

 

3. Pessoas surpreendem

OK, você pode ler esse título e pensar que estamos apenas repetindo um clichê. Mas veja o que aconteceu com a gente.

Até agora 4 pessoas abriram as portas das suas casas para nos receberem. Seja em casas enormes ou simples, sozinhos ou com toda a família, houve um denominador comum entre todos os nossos anfitriões: a generosidade.

Fomos presenteados com pizza, cerveja, churrasco, um jantar vegetariano, cafés da manhã caprichados e muita conversa boa jogada fora.

As recepções foram muito mais amigáveis do que esperávamos, até porque na maioria das vezes, as pessoas nunca tinham nos visto, elas simplesmente gostaram do nosso projeto, resolveram nos acolher e o fizeram da melhor maneira possível. Veja mais sobre elas aqui.

Obviamente o mundo não é povoado só por pessoas boas e tivemos a prova disso há pouco tempo. Fomos enganados em Montevidéu por um homem claramente mal intencionado. Aquele foi o nosso primeiro perrengue e apesar de ter nos deixado bem nervosos, nos ensinou a tomar cuidados extras. Contamos mais sobre isso nesse post.

 

4. Não ter rotina nem sempre é fácil

Quando se está cansado do trabalho, tirar férias e não ter uma rotina pode ser a melhor coisa do mundo. Porém, quando se produz conteúdo sem ela, que é atualmente o nosso caso, pode ser complicado realizar metas como ser produtivo ou mesmo se lembrar de pequenas coisas do dia-a-dia.

Principalmente no começo da viagem, não estava muito claro para nós a ordem em que deveríamos resolver nossas pendências. Tarefas como se lembrar de tomar um remédio ou confirmar se poderíamos nos hospedar onde havíamos planejado meses atrás, não tinham horários ou dias costumeiros e podemos dizer que isso nos atrapalhou. Entretanto, temos melhorado aos poucos com relação a isso.

A adaptação para o nosso novo estilo de vida é diária e mesmo que não seja fácil, sempre vale a pena. Afinal, o foco aqui é realmente experimentar, conhecer e aprender 🙂

Acompanhe mais sobre o nosso dia-a-dia no Diário de Bordo.

The following two tabs change content below.

Memórias de Mochila

Casal que resolveu explorar as estradas e belas paisagens do continente americano por 1 ano a bordo de um Land Rover Defender 110. De Ushuaia ao Alasca, temos muitas histórias para dividir com vocês. Pegue carona com a gente!

Latest posts by Memórias de Mochila (see all)