De todos os preparativos, transformar o carro em nossa casa sobre rodas foi a etapa que mais levou tempo. E dedicação. E paciência. E talvez nosso dinheiro também.

A escolha do nosso carro foi uma etapa complicada devida nossa falta de experiência nesse assunto de vida nômade. Transformá-lo em uma casa foi ainda mais complicado.

Como já contamos aqui no site, optamos por fazer nossa viagem de carro por diversos motivos. Acreditamos que o carro nos traz a liberdade (em partes, é claro) de escolhermos exatamente quando queremos fazer nossas atividades.

Portanto, a fim de fazer jus a ao modelo de carro que elegemos e a esse estilo de viagem, precisaríamos de um quarto, uma sala e uma cozinha, no mínimo!

Inicialmente pensamos em um banheiro também, mas achamos a ideia um pouco bizarra depois que pesquisamos mais sobre o assunto. Chegaremos a essa parte.

A CASA – QUEM VAI FAZER?

A primeira dúvida foi: como vamos fazer isso? Começamos a pesquisar na internet pessoas que viajam de carro e encontramos diversos projetos legais. Kombi, motorhome, caminhonetes e, é claro, Defenders.

Uma coisa que reparamos é que os projetos em Defenders são bem parecidos. Normalmente são 2 ou 3 “armários”. Um deles é a cozinha, outro é um sofá-cama e por fim baús para guardar roupas e demais itens da viagem. Encontramos muita coisa bacana, muitos projetos super completos, com 1001 funcionalidades. Até aí era tudo maravilhoso, claro.

Por ser um projeto muito específico, o problema foi encontrar quem o fizesse. Encontramos empresas especializadas em projetos de motorhomes que faziam tudo pra gente. Armários, parte elétrica, hidráulica, isolamento acústico e térmico do carro, tudo. Porém, exatamente por ser um projeto único e segmentado, achamos o preço um pouco alto pro nosso orçamento.

Seria mais prática essa opção?Com toda a certeza. Não precisaríamos nos preocupar com baterias, qual inversor colocar, como instalar uma pia, como mandar a água pra dentro do carro… Mas optamos por fazer cada parte separadamente. Esta seria uma oportunidade pra gente aprender coisas novas, participar mais ativamente da construção daquela que seria a nossa casa por mais de um ano e também (principalmente) de economizar dinheiro.

OS ARMÁRIOS

Seguimos o padrão que tínhamos encontrado em projetos de outros viajantes. Considerando o tamanho do carro e o espaço disponível, para nós parecia ser o melhor layout possível. Veja mais a seguir.

 

GUARDA-ROUPAS

Atrás dos bancos do motorista/passageiro colocamos um grande baú para guardar nossas roupas. Fechado, com uma almofada em cima, o baú se transforma em um “puff” para descanso. Esse espaço é ótimo para guardar coisas, pois o Defender tem um “degrau” logo atrás dos bancos do motorista e do passageiro. Isso deixa o baú bem fundo, cabe muita coisa dentro!

 

SOFÁ

Em uma das laterais do carro fizemos nosso sofá. Ele é bem parecido com o baú, mas com um espaço menor devido à caixa de rodas da Defender, que ocupa toda a lateral traseira do carro. Mesmo assim, ficou um espaço legal para guardarmos coisas um pouco menores. Como o carro é cheio de recortes, espaços escondidos, sempre tem um lugarzinho pra colocar mais objetos!

 

COZINHA

Na outra lateral fizemos nossa cozinha. Um gabinete com pia e várias portas para guardarmos nossos utensílios de cozinha, produtos de limpeza e afins.

No gabinete está nossa mesa, que na verdade fica escondida em forma de gaveta. Quando vamos cozinhar ou trabalhar, podemos “abrir” nossa mesa. Após o uso, fechamos a gaveta e pronto, a mesa não ocupa mais espaço. Ao lado do gabinete da pia fica a nossa geladeira. Tivemos que fazer um móvel um pouco mais alto ali pelo modelo de geladeira escolhido. Mas estamos muito felizes com nossa escolha!

A PARTE ELÉTRICA

Para nossa casa funcionar, precisamos de energia. Temos que abastecer a geladeira, os carregadores de celular, computador, baterias das máquinas fotográficas… e a bateria do carro sozinha não dá conta de tudo isso! Por isso, após muitas pesquisas durante a madrugada e ajuda de amigos, fizemos um pequeno sistema elétrico pro nosso carro.

Basicamente, todos os nossos eletrônicos ficarão ligados a uma bateria extra (do tipo estacionária) que adicionamos ao nosso carro. Isso nos trouxe 2 dúvidas:

1) Como ligaríamos os eletrônicos na bateria? e 2) E quando a carga da bateria extra acabar?

Bem, não somos experts em eletrônica, mas sabemos que nossos aparelhos são 110/220 e a tensão da bateria é 12V. Por isso, instalamos um inversor de energia que transformaria a energia 12V da bateria em 220V. Assim, poderíamos ligar nossos aparelhos direto em nosso inversor sem problemas.

Com o uso ininterrupto, a bateria estacionária iria ficar sem carga. Assim, tivemos que pensar em uma saída. Ligamos a estacionária à partida do carro. Toda vez que colocarmos nossa casa pra rodar, nossa bateria estacionária estará sendo carregada (do mesmo jeito que acontece com a bateria normal do carro).

Problema resolvido? NÃO. E quando ficarmos muito tempo com o carro parado? Aí teremos que apelar para um carregador.

Vimos muitos modelos de motorhomes com placas solares que eliminavam a necessidade desse carregador, pois, mesmo com o carro parado, a captação de energia solar seria suficiente (em teoria é claro) para manter a bateria e a casa funcionando. Contudo, isso encareceria nosso projeto. Optamos pela forma mais barata.

Apesar de parecer complexo, o sistema elétrico da nossa casa é bem simples. Hoje estamos mais acostumados com ele, mas no começo estávamos completamente perdidos!

Ah e caso você esteja se perguntando as especificações dos equipamentos que compramos, aqui vai:uma bateria estacionária da marca Fredoom 115ah e um inversor da marca Hayonik que transforma 12V para 220V (1000 W de potência).

A PARTE HIDRÁULICA

A parte hidráulica da casa muito simples.

Levamos água em um esquema de tubulação feito com canos de PVC no bagageiro do carro. Os canos tem 100 mm e conectados têm um formato retangular que, pelos nossos cálculos, armazena até 40 litros de água. Conectamos uma mangueira a esse cano, a qual entra por baixo do carro até a torneira da pia dentro do carro.

A pia é uma simples panela improvisada que fica em uma bancada de inox forrando o armário. Dela sai uma mangueira que descarta a água não utilizada para fora do carro.  A torneira tem um filtro acoplado, o que nos dá mais tranquilidade para utilizar a sua água. Pronto, esse é o nosso sistema hidráulico!

Inicialmente, nossa ideia era incluir um reservatório de água embaixo do carro e instalar uma bomba para mandar a água pra pia, dentro da nossa casa. Começamos a cotar quanto ficaria o projeto: tanques extras, reservatórios de água em fibra de vidro, bomba d’água… o valor estava completamente fora da realidade pra gente.

Pensamos melhor e concluímos que não precisaríamos de um esquema tão complexo assim. Uma loja especializada teve a coragem de cobrar quase R$ 4.000 em um tanque para água! Achamos um absurdo!

Com criatividade sempre é possível achar opções mais baratas e próximas ao orçamento assim como encontramos.
Ficou com alguma dúvida? Conta pra gente! Ficaremos felizes em responder!
The following two tabs change content below.

Memórias de Mochila

Casal que resolveu explorar as estradas e belas paisagens do continente americano por 1 ano a bordo de um Land Rover Defender 110. De Ushuaia ao Alasca, temos muitas histórias para dividir com vocês. Pegue carona com a gente!

Latest posts by Memórias de Mochila (see all)